Downton Abbey Sisters

segunda-feira, junho 13, 2016


Downton Abbey, para quem ainda não conhece, é uma série maravilhosa, que conta a história de uma família aristocrata da Inglaterra. Parece ser chato diante dessa descrição, mas a série é puro glamour de época. Nela, são relatados acontecimentos históricos como a participação da população na primeira guerra mundial e as primeiras casas a ter luz elétrica. Muitas críticas aos costumes da época são feitas para denotar quais eram as condições que ricos e pobres viviam.

Pessoalmente falando, chorei desde o primeiro episódio, do mesmo jeito que dei gargalhadas com alguns personagens. Virou minha série favorita e estou assistindo a sexta - e última - temporada.

Tem de tudo, briga, escândalo e, claro, romance. Não dá para falar de todas as coisas lindas dessa série em um post, mas dá para compartilhar algo muito intrínseco no roteiro: a relação entre as irmãs Crawley.

As moças que vivem em uma linda e grandiosa casa, no século XX, de 1912 adiante, são irmãs, mas tem praticamente nada em comum. Talvez seja isso que as faça ser tão amadas por quem adora a série. Então, se você já viu, pode concordar ou não comigo, e se não viu pode conhecer um pouco dessas personagens com quem podemos aprender muito.

Lady Mary
Ela é a primogênita. E também a mais bonita (segunda a sociedade). Mary é um misto de coisas boas e ruins e isso a torna bem interessante, pois não dá para saber de que lado ela joga. É a mocinha de várias coisas ruins que ela mesma faz, então fica difícil entender por que ela ainda é querida e previsível.

Sendo a irmã mais velha, aos 23 anos já se sente velha para casar. Com isso inicia uma luta contra seus sentimentos a fim de encontrar um marido lucrativo. Depois de muito dar com os burros na água, Mary entende que pode ser feliz e rica, ao mesmo tempo, basta parar de ser idiota. Mas até encontrar a felicidade, essa lady vai chorar bastante.

O misto de raiva e impaciência que a faz respirar fundo, fechar os olhos e fuzilar a pessoa (geralmente Edith) com os lindos olhinhos redondos.


Essa expressão de total espanto e incredulidade, mas que, na verdade, sempre diz respeito a algo que ela mesma provocou.


O momento em que a "coitadinha" Lady Mary cai no choro, mas tem como auxílio, sempre, suas luvas de seda.


Por fim, a expressão mais vista na série: sorriso + suspiro + balanço de cabeça que quer dizer "Nossa! Ainda bem que todas as coisas erradas que eu fiz não atingiram ninguém, pois eu já estou arrependida!”.


Lady Edith
Ela é irmã feia (mesmo não sendo feia). Das três filhas, Edith é a única loira que não tem olhos claros e um rosto expressivo. Com isso, somado ao fato de ser a filha do meio, deixa de ter a atenção de todos. Sempre sendo menos importante que Mary e menos mimada que Sybil, Edith vive às sombras da família, escondendo seus sentimentos. No fundo, ela é uma boa moça, cheia de sentimentos bons, sempre ofuscados pelas irmãs.

Se Edit vivesse hoje, seria uma daquelas pessoas superficiais que acreditam qualquer coisa e depositam sua felicidade em uma luz de esperança. Quando todos se vão ela percebe o quanto foi otária, só então aprende que deve se amar mais.

Acostuma-se a ver esse cara de "ops, falei besteira, me resguardar aqui!":


Ou este sorriso, quando Edith recebe um elogio e nem sabe o que fazer com ele.


Mais visto: cara de que a esperança é a última morre (ao lado da carranca perversa de Mary).


Lady Sybil
Ela é a feminista. Que até aparece de calça para mostrar que pode sim. Sendo a filha mais nova, com 16 anos no começo da série, ela é privada de todas as coisas que as irmãs ainda não fizeram. Entretanto, ela seria a filha a dar “vergonha para a família”. Sybil foge para se casar com o chofer e lutar na revolução irlandesa, tem um filho antes das irmãs e corta o cabelo antes da tendência dos geométricos na década de 1920. Isso tudo parece ser leve, mas Sybil quebrou barreiras que não podiam ser quebradas, por mulheres, mo século XX.

Sybil é doce e tenta ao máximo não demonstrar seus sentimentos “de moça”. Mas é fácil se apaixonar por ela, e torná-la a favorita das irmãs.


Essa cara de "eu te avisei!".


Ou quando ela, no meio de um jantar, fala algo muito inteligente e choca a "família tradicional inglesa" com tanta esperteza. 


Ou quando ela chegou na sala do chá usando... CALÇAS. 



Downton Abbey é puro amor.

Você pode gostar também:

1 comentários

Você gostou? Então, comente!

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *