5 hábitos para adotar e abandonar o consumismo

domingo, janeiro 31, 2016


Há dois anos, quando descobri a moda upcycling, comecei a comprar mensalmente peças em brechós, reformá-las, e fazer peças novas com tecidos de reuso. Assim, de uma forma consciente, eu consegui compor um guarda-roupa saudável, cheio de peças que amo. Quando quero algo novo, troco, reformo, doo, mas jamais deixo uma peça se desvalorizar no guarda-roupa.

A questão é que, mesmo antes de me tornar uma adepta do slow fashion, eu nunca fui consumista. Por falta de grana e de vontade também. Com isso, sempre foi muito complicado pra mim entender porque as pessoas consumiam roupas tão loucamente. Daí comecei a estudar comportamentos no consumo de moda, e entendi 5 coisinhas que podem contribuir muito para quem quer abandonar o consumismo e ter uma vida mais saudável habitual e financeiramente.

Por que você consome tanto?
É essencial entender o motivo do consumismo. E existem N razões: ficar "na moda", se sentir melhor, se presentear após um momento de tristeza... Enfim, o consumo exacerbado de moda tem muito mais ligação com faltas psicológicas do que com verdadeiras necessidades. Portanto, é preciso começar admitindo qual é o motivo dos gastos desnecessários. Ter isso em mente faz com que seja um lembrete diário sobre porque consome tanto e, por consequência, não ceder mais a ele.

Repense 
Após saber porque consome tanto, é hora de repensar hábitos e necessidades. Importante, nessa fase, saber que hábito - nesse contexto - é aquilo que te ajuda cotidianamente a manter uma rotina saudável e confortável. Já a necessidade é aquilo que realmente precisa, não o que acha que precisa. Trabalhar esses conceitos ajuda a repensar o todo do consumo de moda. Por fim, repense a moda, o consumo, as tendências, tudo aquilo que te faz comprar, compor looks... Questione-se. Pergunte a si mesma e procure sentido para o que faz e para os hábitos que cultiva.

Conheça a Moda
Conhecer a moda não é meramente saber das tendências. Conhecer a moda é conhecer como se faz, de onde vem, qual foi a inspiração... Tudo isso faz muita diferença, desde a composição do look até a qualidade e a vida útil da peça. Há muita diferença entre vestir uma peça que custou R$10 e foi costurada por alguém sob trabalho escravo e vestir uma peça que custou R$50 mas foi feita por alguém feliz em ótimas condições de trabalho (há milhões de motivos além desse).

Coloque em prática
Após estar determinada a mudar, entre em ação, se organize, componha uma estratégia de organização e comece sua mudança - interior e exterior. Não fique com medo de quebrar padrões e ser julgada pelos outros, o que importa aqui é você e o seu conforto. Portanto, não adie sua mudança de hábito.

Organize
Após se adaptar às novas visões de consumo de moda, é essencial criar uma cultura de organização. Manter suas roupas organizadas, independente da estratégia (por cor, modelo, estação, em araras...), ajuda a ganhar tempo no dia a dia e, por consequência, se sentir mais leve na convivência com seus looks. Além do ganho de tempo, a criatividade também aflora, ajudando a aproveitar muito mais suas roupas.

Isso tudo é muito simples, mas incrivelmente desafiador. Aqui no blog, há vários posts falando sobre esse assunto. Se quiser pode conferir as experiência que já compartilhei, na tag Moda Upcycling.

Comece aos poucos, estabeleça suas metas e nunca esqueça que, buscando o seu bem-estar, uma séria de melhorias se desencadearão. Incluindo o consumo consciente, que também contribui para a cultura de moda ética e coletiva.

Um beijo.

Você pode gostar também:

3 comentários

  1. Que texto maravilhoso! Adorei a escrita, o tema proposto. Ganhou uma fã <3

    ResponderExcluir
  2. Nossa, gostei muito. Seu texto me ajudou muito a refletir sobre consumo e eu REALMENTE preciso economizar e ser menos consumista... Sou aquele velho clichê de pessoa que compra o que não precisa e acaba não usando... Preciso mudar! AHAHAHAHAH

    ResponderExcluir
  3. Oi Marina, tudo bem?
    Gostei de mais do seu post, e já tem algum tempo que tenho refletido sobre o motivo de meu consumismo e descobri que sempre compro mais quando estou ansiosa ou estressada, então comecei a me policiar e não ir as lojas, ou visitar lojas online quando estou assim, e tem funcionado, como você disse, saber o que me impulsiona a comprar é o primeiro passo pra controlar esse impulso.
    Abraços,
    Amanda Almeida
    http://blog.amanda-almeida.com.br/

    ResponderExcluir

Você gostou? Então, comente!

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *