Desapegos: destinos conscientes

segunda-feira, outubro 26, 2015


Percebo sempre que ao formar um novo armário capsula ou aderir à vida minimalista, muitas pessoas se desfazem de várias peças. Mesmo que isso signifique um alívio e uma forma melhor de manter o armário organizado, eu deixo aqui algumas dicas de como "desapegar" com consciência, afinal, não é porque elas não servem mais para vocês, que desaparecerão, sem deixar rastro inadequado. Ou seja, ainda temos responsabilidade sobre essas roupas e o destino delas. Esses pequenos cuidados garantem menos lixo tornado a partir da nossa atitude:

Trocas: com amigas, primas, enfim, com quem puder trocar suas peças por outras que possa usar;

Bazar pessoal: existem pessoas que têm tanta roupa que podem até montar bazares particulares (uma amiga minha vendeu todas as peças dela em um bazar assim). Essa alternativa pode render uma boa grana para quem deseja recomeçar todo o guarda-roupa;

Brechós: eles consignam as peças das clientes. Daí quando houver peças do seu interesse, elas valem a sua já consignada. Brechós grandes também compram peças, para quem prefere não consignar;

Doação: isso parece a solução para tudo, mas não é. O destino das peças doadas é tão incerto quanto o lixo (é estranho falar isso, mas é real). Se vai doar suas peças, certifique-se de que pessoas que realmente precisam vão ficar com elas. Você mesma(o) pode doar a alguém, a uma família carente, por exemplo. Enfim, as instituições que organizam essas doações precisam ser checadas. Há inúmeros relatos de desvio de peças ou lotes que simplesmente vão para o lixo;

Lixo: ESSA HIPÓTESE É INCOGITÁVEL. Já basta toda a incoerência que há no lixo "comum". Jogar peças de roupas no lixo é um desrespeito com a cadeia produtiva (da pessoa que a costurou até chegar no trabalhador de reciclagem que não conseguirá aproveitá-la).

Reforma e customização: essas alternativas dão segunda chance as peças mesmo antes de irem para outra pessoa. Uma boa reforma pode resultar em um peça bem diferente, aproveitando seu tecido e parte da estrutura.

Se alguém tiver alternativas conscientes, além dessas, eu vou adorar saber!

Um beijo.

Você pode gostar também:

1 comentários

  1. Super concordo com o texto, acho super injustiça com o universo jogar roupa no lixo! pode tá rasgada que tem como reaproveitar, minha mãe mesmo, adora fazer camisetas velhas como pano de limpeza, pra tirar pó ou limpar o chão.

    www.depoisquevocesefoi.com.br

    ResponderExcluir

Você gostou? Então, comente!

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *