A jovem Rainha Vitória

quinta-feira, abril 16, 2015



A história da jovem que lutou pelo poder real ganha vida com a interpretação de Emily Blunt. O filme britânico, dirigido por Jean-Marc Valleé, foi indicado três vezes ao Oscar e ganhou o prêmio de melhor figuro, com justiça, pois a indumentária do século XIX foi reproduzida magnificamente.


O amor de Vitória e Alberto é retratado em meio aos primeiros passos reais da jovem Rainha. Vitória iniciou a soberania com apenas 17 anos, e teve como desafio provar a uma nação que estava preparada.

Quando princesa, teve que lidar com a possessão de sua mãe, a duquesa de Kent, uma mulher orientada por Conroy, um conselheiro ambicioso, que menosprezava o competência e maturidade de Vitória. Com a morte de seu tio, o Rei Guilherme IV, Vitória passou ao poder, pois era a sucessora da linhagem.

Sua ascensão foi rodeada por pessoas que desejavam tirar proveito político de sua posição, mas em meio a tantos pretendentes e novos amigos, ela encontrou alguém que encantou-se verdadeiramente por quem era, independente de quem poderia vir a ser. Alberto, seu primo, um elegante pretendente, começou a corresponder-se com ela a fim de casar-se com a futura rainha, mas passou a admirá-la por sua personalidade corajosa. Alberto não podia pedi-la em casamento enquanto Vitória não manifestasse interesse recíproco, com sorte, a jovem apaixonou-se por ele e pediu que permanecesse no Reino Unido para ficarem juntos.


A cena em que Alberto tem a confirmação de seu pedido de casamento é selada por um lindo abraço - daqueles que provocam um sorriso bobo em quem assiste - seguido por um beijo cauteloso, o primeiro na vida de Vitória. A primeira noite de casal também é retratada de forma cautelosa, porém, tão bela quanto a do pedido.


Vitória enfrentou a desaprovação do povo, seus primeiros passos como soberana desagradaram a muitos e ela sofreu atentados violentos, mas aos poucos, convenceu o povo de sua competência como governadora. Alberto, príncipe consorte ao casar-se com a rainha, era um homem bom e tinha muitos planos para ajudar Vitória com a administração do reino. Ambos eram humildes e desejavam cuidar das pessoas carentes. Juntos, fizeram reformas históricas na educação, incentivo à cultura, melhorias na indústria e abolição mundial da escravatura.

O filme é encantador, um verdadeiro achado para os apaixonados por longas de época. E ainda, como todo bom filme, tem uma fofura com focinho que completa o elenco. O ilustre personagem, muito amado pela Rainha, é um cãozinho da raça cavalier king charles, o Dash.

Você pode gostar também:

0 comentários

Você gostou? Então, comente!

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *